Avançar para o conteúdo

Encontrou algo em algum lugar / Perdeu algo em algum lugar

 

Apoie-nos Clique aqui

Alguém fez investigação
Investigado algures
Em algum lugar ele encontrou algo
Algo de grande importância
Datas importantes
Datação de pensamentos anteriores
O pensamento trouxe conclusões
As conclusões tornaram-se factos
Fatos nova Verdade
Verdade Incansável
Perda incessante
Valores perdidos
Valor insuspeitável
Não pensa sobre isso
Desde os seus factos
Para ser ideal de facto
A sua primeira descoberta
Descoberto como um fundidor
Descobre outros
Outros como ele

Embora tenha em alta estima a ciência, vejo-a como um meio, uma ferramenta. Não dá uma explicação da realidade (cientificismo), mas ajuda a explicar uma parte da realidade. Este texto pretende, portanto, ser uma crítica a uma prática científica positivista que vê os dados como objectivos - em oposição a uma construção. Isto também é visível na realidade construída dos modelos científicos face a uma realidade muitas vezes (fortemente) desviante. Concentra-se também numa ciência que se vê a si própria como fonte isolada - sem valor - de conhecimento. No entanto, a prática da ciência é altamente especializada e fracionária. Não se mantém sozinha e assenta nos outros. Não são apenas os factos, mas também os valores que desempenham um papel nas conclusões tiradas. O mundo é complexo e requer uma reflexão crítica multidisciplinar e interdisciplinar. Onde a crítica não é permitida, o conhecimento torna-se isolado, os valores são postos de lado e a ciência torna-se um assunto idealista sem contexto, no qual a política tem a sua quota-parte. E nem sequer mencionei os vários interesses, lobbies e financiamentos que desempenham um papel no desenvolvimento da investigação. Nota: Não estou a dizer no estabelecimento do resultados de uma investigação. Embora existam inúmeros exemplos disto também no passado. Em resumo: a ciência tem as suas utilizações, mas também o seu lugar.

nv-author-image

Erwin de Ruiter

"Um homem tenta exprimir-se em livros, outro em botas; ambos são susceptíveis de falhar". - G.K. Chesterton

Etiquetas:

Deixe um comentário

pt_PTPortuguês