Avançar para o conteúdo

O Mundo Moderno

 

Apoie-nos Clique aqui

A característica especial do mundo moderno não é que seja céptico, mas que é dogmático sem o saber. - G.K. Chesterton

FonteNotícias Ilustradas de Londres, 5 de Março de 1919

Citação completa:

"A característica especial do mundo moderno não é que seja céptico, mas que seja dogmático sem saber. Diz-se, em troça dos antigos devotos, que eles acreditavam sem saber porque acreditavam. Mas as pessoas modernas acreditam sem saberem no que acreditam - e sem sequer saberem que acreditam. A sua liberdade consiste em primeiro aceitar livremente um credo e depois esquecer livremente que o aceitam. Em suma, têm sempre um dogma inconsciente; e um dogma inconsciente é a definição de um preconceito. São os ritualistas mais maçadores e mortíferos que apenas recitam a sua fé no seu subconsciente, como se estivessem a repetir a sua fé no seu sono. Um homem que está acordado deve saber o que diz e porque o diz - ou seja, deve ter um credo fixo e relacioná-lo com um primeiro princípio. É com isto que a maioria dos modernistas nunca concordará. As suas reflexões irão chegar às conclusões mais interessantes; mas nunca lhe poderão dizer nada sobre onde começaram. Eles tiram sempre o número que pensaram primeiro. Sempre esqueceram o facto ou a fantasia de que depende toda a sua teoria".

Texto original:

"A marca especial do mundo moderno não é que seja céptico, mas que é dogmático sem o saber. Diz, em troça dos antigos devotos, que eles acreditavam sem saber porque acreditavam. Mas os moderados acreditam sem saberem no que acreditam - e sem sequer saberem que acreditam. A sua liberdade consiste em primeiro assumir livremente um credo, e depois esquecer livremente que o estão a assumir. Em suma, têm sempre um dogma inconsciente; e um dogma inconsciente é a definição de um preconceito. Eles são os mais maçadores e mortos dos ritualistas que apenas recitam o seu credo no seu subconsciente, como se repetissem o seu credo durante o sono. Um homem que está acordado deve saber o que diz, e porque o diz - ou seja, deve ter um credo fixo e relacioná-lo com um primeiro princípio. Isto é o que a maioria dos moderados nunca consentirá fazer. Os seus pensamentos chegarão às conclusões mais interessantes; mas nunca lhe poderão dizer nada sobre o seu início. Tiraram sempre o número em que pensaram pela primeira vez. Sempre esqueceram o próprio facto ou a fantasia de que depende toda a sua teoria".

nv-author-image

Erwin de Ruiter

"Um homem tenta exprimir-se em livros, outro em botas; ambos são susceptíveis de falhar". - G.K. Chesterton

Deixe um comentário

pt_PTPortuguês